[Resenha] O Visconde Que Me Amava – Julia Quinn

Ei meus lindos!

Hoje é quarta-feira, dia de resenha da tia Duda e decidi trazer para vocês um dos meus livros queridinhos.

Um dos meus gêneros preferidos é romance de época e quando comecei a ler O Visconde Que Me Amava, da série Os Bridgertons, me apaixonei perdidamente pela obra.

Ele é o segundo livro da série, e o primeiro, O Duque e Eu, já foi resenhado aqui no blog.

Antes de começar a resenha, tenho que comentar o quanto sou louca por capas e que todas as capas da série estão maravilhosas. Assim como não consigo escolher apenas um Bridgerton favorito, também não conseguiria saber qual capa está mais bonita.

Enfim, vamos ao que realmente interessa.

o-visconde-que-me-amavaA temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.
Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.
Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.
Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.

Editora: Arqueiro  Páginas: 288  Ano: 2013  Gênero: Romance

Autora: Julia Quinn  Compare & Compre: 📌 Amazon 📌 Saraiva 📌 Submarino

Anthony Bridgerton é um Libertino, com L maiúsculo, como a querida Lady Whistledown, a colunista mais misteriosa de toda Londres, gosta de chamá-lo.

É claro que a questão dos Libertinos já foi assunto discutido antes nesta coluna, e a autora chegou à conclusão que há libertinos e Libertinos.

Anthony Bridgerton é um Libertino.

Um libertino com l minúsculo é um jovem imaturo. Ele se gaba das próprias proezas, comporta-se feito um idiota e se considera um perigo para as mulheres.

Um Libertino com l maiúsculo sabe que é um perigo para as mulheres.

Não se gaba das suas proezas, pois não precisa.

Anthony é o primeiro filho de uma família de oito irmãos. E com apenas 18 anos perdeu o pai. Então, além de herdar o título de visconde, herdou todas as outras responsabilidades que antes não lhe cabiam: o dinheiro, terras e a família.

Anthony sempre foi muito apegado ao pai. Edmund era o centro do universo para o filho, e após sua morte, chegou a uma triste e irônica constatação: sabia que não o ultrapassaria na idade.

Edmund Bridgerton faleceu aos 38 anos. E Anthony simplesmente não podia imaginar-se superando o pai de forma nenhuma, nem mesmo na idade.

Após anos de Libertinagem, o visconde decidiu que chegou a hora de se casar. Se não poderia viver mais que Edmund, pelo menos deixaria um herdeiro para continuar seu legado. E Edwina, o destaque da temporada londrina, parecia ser a escolha perfeita.

O que Anthony não esperava, era que Kate Sheffield, a irmã de consideração de Edwina, iria se tornar seu pior carrasco, disposta a tudo para que a união não aconteça. E como Edwina deixara claro para toda a sociedade londrina, confiava no julgamento da irmã e só se casaria com sua aprovação.

É aí que o livro se desenrola. Anthony precisa, ou melhor, tem que conquistar a confiança de Kate, mas a cada momento que passam juntos, a língua afiada e os comentários sarcásticos da moça lhe dão vontade de estrangulá-la.

E o visconde também verá que além de aturar a irmã de Edwina em jantares e bailes que é obrigado a comparecer, ele também terá de suportá-la em seus pesadelos. Ou seriam sonhos?

Nesse delicioso romance, Julia Quinn criou personagens divertidos e extremamente espirituosos. As cenas são descontraídas e me arrancaram muitas gargalhadas. E como a narração é feita em terceira pessoa, ver o ponto de vista de cada um dos personagens é um ponto a favor da obra.

Não há razões na face da Terra para que você não leia O Visconde Que Me Amava. Está querendo sair de uma ressaca literária? Leia. Bateu a bad? O livro é todo seu. O dia está chuvoso? Se deleite com a obra.

Acho que além de expor minha grande satisfação com o livro, também expus um pouquinho minha admiração pela autora. Julia Quinn é uma grande escritora, seus livros são encantadores e de leitura fácil.

Antes de terminar essa resenha, não poderia deixar de citar uma de minhas partes preferidas do livro, numa passagem de Anthony com Kate, logo após se conhecerem:

— Não tenciono lidar com o senhor, milorde. Desejo apenas mantê-lo afastado de minha irmã.

— O que simplesmente mostra, Srta Sheffield, seu pouco conhecimento dos homens. Ao menos dos libertinos e patifes. Poucas coisas me agradam mais que um desafio. E a senhorita acabou de me lançar um desafio delicioso.

Kate deu um pisão no pé dele, com força suficiente para fazê-lo dar um gritinho decididamente pouco libertino e pouco patife.

Foi minha única defesa.

Ele estreitou os olhos.

— A senhorita é uma ameaça, Srta Sheffield.

Página 41.

Espero que tenham gostado e até a próxima quarta!

~Duda Almeida.

Anúncios

8 comentários sobre “[Resenha] O Visconde Que Me Amava – Julia Quinn

    1. Olá! Fico muito feliz que você tenha gostado da resenha ❤️
      A série é maravilhosa, me apaixonei por todos os personagens, é impossível escolher um preferido haha
      Vou torcer para que você complete sua coleção.
      Beijos ❤️

      Curtir

  1. Olha aqui a resenha de um dos livros da Julia Quinn!
    Amo esse livro, apesar de ainda não ser o meu favorito da série! Anthony foi o Bridgerton mais maduro, eu adoro esse libertino…
    Que saudades da Lady Whistledown, eu já li o livro no qual sua identidade é revelada ❤ tenho muito amor por essa história!
    Beijinhos!!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Leisiane!
      Ainda não consegui escolher um livro favorito da série, mas com certeza esse foi um dos que eu mais dei gargalhada haha
      Também já li o livro em que a Lady Whistledown foi revelada e ameeei. O Colin é tão, tão, tão indescritível AHAUA
      Eu realmente não consigo escolher um só.
      Beijos e obrigada por comentar 💜

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s